"Era domingo e o sol invadia com sua claridade meu quarto, era cedo 8:00 da manhã. Abri a janela e deixei o sol entrar… Eu adorava a maneira como o raios de sol faziam minha pele ficar quente naquela manhã ensolarada. Levantei, tomei café com minhas frutas preferidas “gosto da maneira como o adocicado das frutas fica em minha boca”. Nunca tinha parado para pensar o quanto são gostosos esses pequenos detalhes da vida que a gente nunca repara até perceber que pode não mais tê-los um dia, foi então que decidi sair para caminhar. Era tão bom me sentir assim, leve, a dias não me sentia assim tão bem. Me sentei na praça próximo a minha casa e fiquei ali, admirando tudo ao meu redor, as pessoas, os cachorros correndo pra lá e para cá com um graveto na boca. Os pássaros que desciam em revoada para comer os pedaços de pão que as pessoas jogavam, as crianças brincando no parquinho, felizes. Fiquei ali sorrindo como boba. Novamente me senti viva, e era bom viver. Antes daquele dia eu tinha esquecido como era o gosto das coisas. Era bom conseguir voltar a ver a beleza nos olhos das pessoas e sentir o perfume das flores. Nada como sentir o pulmão se contraindo e relaxando, sentindo o cheiro que a vida exalava sempre que eu me permitia senti-la. E quando eu achava que não podia ficar ainda mais radiante do que já estava com todas as coisas simples da vida, entrei num momento de concentração e reflexão particular tão profundo que pude ouvir minha respiração tranquila e o meu coração bater calmamente. Batia num compasso sereno, sem pressa alguma… E era exatamente como eu me sentia agora, calma e livre, querendo sentir e aproveitar cada pequena coisa que me acontecesse."
— Nessa Cross & Paula B.
"Provavelmente ele não mediu as consequências ao dizer que te amava e pouco tempo depois sumir ou te tratar com qualquer tipo de sentimento, menos amor. Provavelmente ele não imaginou o quanto três palavras (eu te amo) poderiam bagunçar toda a sua vida, te fazer cogitar um novo caminho ao lado dele, uma nova vida, novos planos, tudo novo. Tamanha ousadia achar que pode entrar repentinamente em um coração, fazer o que quiser e depois simplesmente ir, sumir do seu campo de visão fazendo com que você se culpe por ter dado chance para algo que até então fazia algum sentido. Lá vai ele… Indiretamente fazendo com que se sinta desnecessária, infantil, mente fraca, e completamente dramática ao cobrar uma explicação."
Procurando por um erro que não é só seu. Clara Brandão
"Hoje acordei e lembrei dos primeiros dias, os dias que estávamos nos conhecendo, a cada conversa, a cada ligação feita uma nova história para contar, só não posso te dizer que lembro de cada uma delas pois as vezes ficava prestando atenção no som da sua voz. Saber da sua vida sempre me pareceu muito interessante, me aprofundar na sua história e saber que você queria dividir cada uma delas comigo me deixava mais a vontade para conversa com você, as risadas dadas a cada besteira dita me fazia sentir sua intima, passar horas e horas a fio ouvindo sua voz parecia música para meus ouvidos, ver você rindo das minhas besteiras fazia eu parecer engraçada, ver que você gostava de conversa comigo era tão mágico, perceber que naquele momento os nossos sentimentos pareciam os mesmos, saber que você sentia vontade de fazer parte da minha vida foi a história mais linda que já tinha visto."
Fernanda Medeiros.
"Sou incapaz de esquecer, eu tenho a memória ótima pra lembrar de coisas ruins, das pessoas que me deixaram sem ao menos me dar um adeus, um tchau, até nunca mais. Sempre estou lembrando daquele alguém que magoou meu fraco coração, que hoje é marcado e cheio de estragos."
Sentimentos sufocados, acorrentei.  
"Eu pediria você. Se papai noel existisse, se estrelas cadentes fossem de verdade e se moedas na fonte funcionassem, eu pediria você. Quando as velinhas do bolo do meu aniversário se apagaram e eu fechei os olhos, foi por você que eu pedi. Eu rezei pela sua felicidade, pelo seu caminho belo e pelas coisas boas que ainda darão certo na sua vida. Nesse natal, se um velho gordo e barbudo aparecesse em um trenó e perguntasse o que eu iria querer de presente, mesmo que eu pudesse escolher qualquer coisa melhor e mais valiosa no mundo, eu juro que o meu desejo seria que você saísse no meio das renas de braços abertos pra mim. Embaixo da minha árvore verde e pontiaguda de natal, eu queria que você estivesse embrulhado no papel de presente mais lindo da cidade. No meio dos piscas-piscas que enfeitam os postes da avenida, eu queria que fosse o seu sorriso que eles desenhassem no céu. E os fogos de artifício poderiam iluminar a noite com o seu rosto. Eu só queria que você tivesse consciência de que seria você. Se eu ganhasse o palito premido do picolé, eu recusaria o prêmio e pediria por você. Se eu acertasse os números da mega-sena da virada, eu trocaria o dinheiro e todas as coisas que ele pode comprar por você. Se o mundo realmente acabasse, a minha última súplica seria você. É você. E eu continuo pedindo, forte, que não deixe de ser nunca. Se uma bomba caísse exatamente agora em cima da minha cabeça e eu não conseguisse terminar esse texto, saiba que eu morreria pedindo por você. Só você, por favor, nem que seja um pouquinho. Eu preciso do ar que você respira pra poder suprir um pouco a distancia que te prende de mim. Eu preciso te olhar inúmeras vezes e ter a absoluta certeza de que em cada uma delas o meu desejo só faz aumentar. Se a terra fosse engolida pelo sol, eu descobriria outro planeta em outra galáxia só pra te fazer feliz. Quando eu acordei sozinha e tomei meu suco preferido sozinha hoje de manhã, foi pela sua companhia que eu pedi. Nas vezes em que eu provei uma nova roupa e não tinha ninguém pra aprová-la, foi pelas suas sugestões ignorantes que eu pedi. Nos dias em que não fez sol e o dia estava propicio pra um filme romântico à dois, foi pela sua preferencia por filmes de terror que eu pedi. Eu venho pedindo por você desde sempre, mas nenhuma alma caridosa me dá o privilégio de te ter. Então eu peço agora: vem. Vem e larga essa sua gravata cor-de-nada no meu sofá. Vem e deixa os seus sapatos no tapete central da minha casa. Vem e poupa os meus próximos mil anos amargurados sem você ao lado. Eu posso não ser a melhor pessoa dentre todas que habitam a Terra, mas com certeza sou a melhor que pode te fazer feliz. Porque, por mais que você negue e responda “não” para todas as minhas súplicas, eu ainda serei a única que pede por você."
Capitule.  
"Ela é uma moça de poses delicadas, sorrisos discretos e olhar misterioso. Ela tem cara de menina mimada, um quê de esquisitice, uma sensibilidade de flor, um jeito encantado de ser, um toque de intuição e um tom de doçura. Ela reflete lilás, um brilho de estrela, uma inquietude, uma solidão de artista e um ar sensato de cientista. Ela é intensa e tem mania de sentir por completo, de amar por completo e de ser por completo. Dentro dela tem um coração bobo, que é sempre capaz de amar e de acreditar outra vez. Ela tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."
Caio Fernando Abreu.